Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Teses e Qualificações > Taiane Alvarenga Menandro Garcia de Freitas (DEFESA)
Início do conteúdo da página

Taiane Alvarenga Menandro Garcia de Freitas (DEFESA)

Última atualização em Quinta, 21 de Novembro de 2019, 17h08 | Acessos: 1570

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM INSTRUMENTAÇÃO E ÓPTICA APLICADA (PPGIO)
Marcação de Defesa de Tese
Candidata: Taiane Alvarenga Menandro Garcia de Freitas
Orientador: Ricardo Marques Ribeiro
Tema:Desenvolvimento de um receptor opto-acústico baseado em interferômetro modalmétrico destinado à comunicação digital ultrassônica
Data: 05/03/2020

Local: Universidade Federal Fluminense (UFF) - Rua Passo da Pátria, 156 - Sala 502 - Bloco D, Niterói-RJ


Banca: Prof. Dr. Ricardo Marques Ribeiro (UFF) – orientador Prof. Dr. Andrés Pablo Lopez Barbero (UFF)

Profa. Dr. Maria Aparecida Martinez (CEFET) Prof. Dr. Geraldo Cernicchiaro (CBPF)

Prof. PhD. Marcelo Martins Werneck (UFRJ) - membro externo

Prof. Dr. Luiz Carlos da Silva Nunes (UFF) - suplente

Prof. Dr. Hypolito José Kalinowki (UFF) – suplente

Resumo: A maioria dos enlaces e redes de Telecomunicações é baseada no uso de sinais eletromagnéticos e de sinais de rádio, em transmissões wireline por fibra, cabos metálicos ou por transmissões wireless. Entretanto, alguns ambientes ou meios físicos apresentam resistência ou restrições aos métodos desenvolvidos para a propagação eletromagnética. A comunicação acústica para estes meios tornou-se, portanto, uma alternativa justificável. Com isso, é proposto o desenvolvimento de um receptor opto-acústico original, baseado em um interferômetro multimodal em fibra óptica (dispositivo modalmétrico) destinado à comunicação acústica digital através de meios materiais sólidos. Duas estruturas básicas do dispositivo modalmétrico foram investigadas: na primeira, configuração reflexiva, um sinal óptico contínuo (CW) na banda C é conduzido através de uma fibra óptica monomodo (SMF) e acoplado em uma fibra óptica multimodo sensível (s-MMF) de tipicamente 7 cm de comprimento, que encontra-se emendada por fusão à primeira. A luz é refletida pela extremidade clivada da s-MMF e retorna para detecção e análise. Para a análise e comparação da sensibilidade do dispositivo modalmétrico, foram então implementadas 7 diferentes estruturas, sendo 3 transmissivas, 3 reflexivas, além de 1 estrutura baseada em grade de Bragg em fibra (FBG). Em todos os testes, foram utilizadas portadoras acústicas em 42,9 kHz. O dispositivo modalmétrico em qualquer das configurações testadas, mostrou- se mais sensível acusticamente que o baseado em FBG, e, adicionalmente, não necessitou de alinhamento espectral prévio. Foi possível obter um aumento na sensibilidade do dispositivo modalmétrico de duas formas: quando o comprimento de onda de prova foi diminuído de 1551,5 nm para 1525 nm; e com um maior tamanho de fibra s-MMF. Em outro experimento, selecionamos a configuração que apresentou maior sensibilidade (reflexiva) e ultilizamos o dispositivo modalmétrico como um detector opto-acústico de recepção. Nesta configuração, foi possível realizar um transmissão ultrassônica digital em 42,9 kHz através de paredes e tubos cilíndricos metálicos macicos de 2 cm e 30 cm de comprimento.

Fim do conteúdo da página