Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Eventos > III Colóquio Internacional África-Brasil
Início do conteúdo da página

III Colóquio Internacional África-Brasil

Última atualização em Quarta, 14 de Novembro de 2018, 15h52 | Acessos: 4996

 

 Apresentação

Desde 2015 o Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET/RJ) e o Serviço Social do Comércio (Sesc) vêm atuando em parceria na realização de eventos internacionais que discutam as relações entre África e Brasil, a abrangência das políticas de ações afirmativas em âmbito nacional e internacional, o alcance das medidas de combate ao racismo, a xenofobia e outras intolerâncias, os reflexos das diásporas do século XXI, dentre outros temas.

A partir dessa agenda o CEFET/RJ e o Sesc reúne intelectuais, pesquisadores/as, diplomatas, jornalistas, representantes governamentais, dos Direitos Humanos e dos movimentos negros para avaliar e ampliar as ações e estratégias de combate ao racismo, às políticas públicas direcionadas à população negra brasileira e as produções científico-acadêmicas elaboradas nos últimos anos, interligando as produções nos dois lados do Atlântico (África e Brasil), por todos os laços históricos que ligam esses territórios, em especial os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) .

Neste contexto e na sequência dos eventos anteriores, o III Colóquio África-Brasil: Ensino, Pesquisa e Relações Econômico-Sócio-Políticas, a realizar-se nos dias 21, 22 e 23 de novembro de 2018, irá debater cinco temáticas centrais – 1) Deslocamentos Populacionais; 2) Educação; 3) Cultura; 4) Relações Políticas – Processos Eleitorais e Integridade Eleitoral (em articulação com o Projeto Internacional de Pesquisa sobre Pluralismo e Democratização em Angola e Moçambique coordenado pelos Profs. Nuno Vidal e Justino Pinto de Andrade, financiado pela Aga Khan Development Network e a FCT-Portugal); 5) Saúde. Essa agenda está relacionada com as usuais questões étnico-raciais que constituem preocupações abordadas pelo Programa de Pós-Graduação em Relações Étnico-Raciais do CEFET/RJ, muitas delas igualmente focadas pelas linhas estratégicas do Sesc.

 

Programação

 

Público Alvo 

Estudantes, professores, ativistas, pesquisadores, gestores públicos e todos interessados na temática

Data 

21, 22 e 23 de novembro de 2018

Local

Teatro Ginástico, Av. Graça Aranha, 187 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, 20030-003 

  

 

Palestrantes confirmados 

Malyn Newitt (King’s College London):  Professor emérito do Departamento de História do King's College de Londres, com pesquisas no campo da  história colonial Portuguesa e da história do Oceano índico, com especial referência para Moçambique, São Tomé e Ilhas Comores. É autor dos livros História de Moçambique (Publicações Europa-América), Portugal na História da Europa e do Mundo (Texto Editores) e Lord Beresford e a Intervenção Britânica em Portugal 1807-1820 (Editora Imprensa de Ciências Sociais). 

 

 

Rosa Cruz e Silva (Ex-ministra da Cultura de Angola & Arquivo Histórico Nacional de Angola) É historiadora, ex-ministra da Cultura de Angola e fundadora do Arquivo Histórico Nacional em Angola.

 

 

 Henning Melber (The Nordic Africa Institute & Dag Hammarksjold Foundation): Diretor emérito e Assessor Sênior da Fundação Dag Hammarskjöld, Professor da Universidade de Pretoria, Conselheiro Sênior do The Nordic Africa Institute, desenvolve pesquisa em estudos africanos, racismo e governança global. É autor do livro Understanding Namibia: The Trials of Independence (Editora Hurst) e A Decade of Namibia: Politics, Economy and Society the Era Pohamba, 2004-2015 (Editora Brill)

 

 Alexsander Gebara (UFF): Professor de História da África na Universidade Federal Fluminense, trabalha com pesquisa e docência na área de História, com ênfase em História da África, especialmente com viajantes e relatos de viagem e análise do discurso colonial. É autor do livro A África de Richard Francis Burton (Editora Alameda).

 

 

 Andrea Marzano (UniRio) Professora da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, desenvolve pesquisa sobre a cidade de Luanda, em Angola, entre o final do século XIX e as três primeiras décadas do século XX, é autora do livro Cidade em cena: o ator Vasques, o teatro e o Rio de Janeiro (1839-1892) (Editora Folha Seca).

 

 

 Marcelo Bittencourt (UFF): Professor Associado de História da África no Instituto de História da Universidade Federal Fluminense. Coordenador do Núcleo de Estudos Africanos (UFF). Investigador Associado do Centro de História da Universidade de Lisboa. Publicou, entre outros, Dos jornais às armas: trajetórias da contestação angolana (Lisboa, Vega, 1999); Estamos juntos! O MPLA e a luta anticolonial 1961-1974 (Luanda, Kilombelombe, 2008); Mais do que um jogo: o esporte no continente africano (organizado em conjunto com Augusto Nascimento e Victor Andrade de Melo, Rio de Janeiro, Apicuri, 2011); História da África (em conjunto com Andrea Marzano, Rio de Janeiro, Fundação Cecierj, 2013).

 

 Renilda Barreto (CEFET/RJ):  Professora do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca, pesquisa sobre políticas públicas e privadas voltadas para assistência à saúde das/os negras/os e sobre circulação de pessoas e ideias no território luso-brasileiro. É coautora dos livros Filantropos da Nação: sociedade, saúde e assistência no Brasil e em Portugal (Editora FGV), A Circulação do Conhecimento: Medicina, Redes e Impérios (Editora Imprensa de Ciências Sociais).) e História da Saúde na Bahia: Instituições e patrimônio arquitetônico (1808-1958) (Editora Manole).

 

 Valdemir Zamparoni: Professor da Universidade Federal da Bahia, faz pesquisa sobre África com ênfase nos seguintes temas: África, Angola, Moçambique, colonialismo, racismo, gênero, ideologia, biomedicina e práticas de cura. É autor do livro De escravo a cozinheiro: colonialismo & racismo em Moçambique (Editora Edufba).

 

 Mariane Marçal (CEFET/RJ): Enfermeira obstetra, mestranda no Programa de Pós-Graduação em Relações Étnico-Raciais e desenvolve pesquisa sobre mortalidade materna da mulher negra na baixada fluminense.

 

 

 

 

 Sônia Beatriz dos Santos (UERJ): Professora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, desenvolve pesquisa sobre movimento de mulheres e feminismo (em especial relacionados as mulheres negras), história intelectual das mulheres negras; diáspora africana e suas epistemologias e desigualdades raciais e de gênero. É coautora do Dictionary of Caribbean and Afro-Latin American Biography (Oxford University Press).

 

Nuno Fragoso Vidal (CEFET/RJ): Professor do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca, é estudioso no campo das transições políticas e econômicas em países Africanos, em particular  Angola, Tanzânia, República Democrática do Congo, Moçambique e África do Sul. É autor dos livros Cidadania pela Defesa do Direito à Habitação (Editoras Firmamento & Media XXI) e Poverty Eradication in Southern Africa: involvement of civil society organisations. Mozambique, Tanzania, Democratic Republic of Congo and Angola. National and regional poverty observatories (Editora Firmamento).

 

 Elias Isaac (Fundação Open Society Angola): Diretor da Open Society em Angola e ativista social em prol dos Direitos Humanos.

 

 

Claudio Mungoi (Universidade Eduardo Mondlane): Professor assistente da Universidade Eduardo Mondlane, tem experiência na área de desenvolvimento rural com enfoque na análise dos usos políticos e econômicos do território, agricultura, segurança alimentar, poder local e desenvolvimento regional.

 

 Cristina Rodrigues (Nordic Africa Institute/Uppsala Suécia): Antropóloga, participou e liderou vários projetos de investigação sobre países africanos de língua portuguesa, a maior parte deles em Angola. A principal área de pesquisa é a África urbana, apesar de realizar investigação sobre pobreza e proteção social; crianças, jovens e idosos; fronteiras em África ou desenvolvimento e cooperação. É autora do livro O Trabalho Dignifica o Homem: estratégias de sobrevivência em Luanda (Editora Colibri)

 

 

 Justino Pinto de Andrade (Universidade Católica de Angola)  Professor catedrático e diretor da Faculdade de Economia e Gestão da Universidade Católica de Angola, é Deputado à Assembleia Nacional de Angola e coautor do livro Economia Política e Desenvolvimento em Angola (Editora Media XXI)

 

 

 Ivaldo Gonçalves de Lima (UFF) Professor da Universidade Federal Fluminense, atua na investigação científica dos seguintes temas: geopolítica, geografia política da Amazônia, redes políticas, justiça territorial, globalização do mundo contemporâneo, políticas públicas e governança territorial, geografia legal crítica, geografia política e gênero, ensino e avaliação de geografia. É autor do livro

 

 Fabiano Soares Magdaleno (CEFET/RJ) Professor do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca,  desenvolve pesquisas em Geografia Política, atuando principalmente nos seguintes temas: território e representação política. É autor do livro A Territorialidade da Representação Política: Vínculos Territoriais de Compromisso dos Deputados Fluminenses (Editora Annablume)

 

 Mariana Renou (CEFET/RJ) Professora do Centro Federal de Educação Tecnológica e Celso Suckow da Fonseca e pesquisa o Caribe a partir de experiências coletivas, no campo político, religioso e simbólico.

 

 

 

 Inocência Mata (UL) - Doutora em Letras pela Universidade de Lisboa e pós-doutora em Estudos Pós-coloniais (Postcolonial Studies, Identity, Ethnicity, and Globalization,  Universidade de Califórnia, Berkeley);  é professora da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FLUL), na área de Literaturas, Artes e Culturas, e investigadora do Centro de Estudos Comparatistas/FLUL (CEC). Foi, de 2014 a 2018, professora na Universidade de Macau, onde exerceu com uma licença especial do Reitor da ULisboa, tendo sido vice-directora do Departamento de Português da Universidade de Macau,  coordenadora do Programa de doutoramento, PhD in Literary and Intercultural Studies (Portuguese) e directora do Centro de Investigação de Estudos Luso-Asiáticos (CIELA). É membro de associações científicas da sua especialidade, membro correspondente da Academia das Ciências de Lisboa – Classe de Letras, membro da Academia Angolana de Letras e Académica Correspondente da Academia Galega da Língua Portuguesa. Professora visitante de muitas universidades estrangeiras, é igualmente membro do Conselho Editorial e Científico de muitas revistas de especialidade, nacionais e estrangeiras. Tem publicado na área de literaturas africanas, literaturas em português e estudos pós-coloniais.

 

 Eneida Cunha (PUC/CEFET-RJ) Professora da Pontifícia Universidade Católica e professora no Programa de Pós-Graduação do CEFET/RJ, atua nas áreas de Letras e de Cultura e produção intelectual predominantemente em dois eixos: sobre as questões identitárias que emergem na história e na contemporaneidade cultural e literária brasileira e de outros espaços lusófonos, especialmente nas interseções Brasil/África e Brasil/Portugal, e sobre os debates epistemológicos e os trânsitos disciplinares e intersemióticos atuais. É autora dos livros Estampas do Imaginário: literatura, história e identidade cultural (Editora da UFMG) e Leituras críticas sobre Silviano Santiago (Editora da UFMG).

 

 Ana Saggioro Garcia (UFRRJ): Professora da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, atua no campo da Economia Política Internacional, e dentre suas vertentes de pesquisa ressalta-se investimentos e empresas dos BRICS na África. É autora do livro BRICS na África: mais do mesmo? Um estudo comparativo dos acordos de investimento dos BRICS com países africanos (Editora Instituto Políticas Alternativas para o Cone Sul)

 

 

 Alessandro Biazzi (CEFET/RJ): Professor do Centro Federal de Educação Tecnológica e Celso Suckow da Fonseca, tem pesquisas das Relações Internacionais; Economia Política Internacional, Setor Energético e Integração Regional na América Latina e Internacionalização das Cidades.

 

 

 Ermelinda Liberato (Universidade Agostinho Neto) É professora na Universidade Agostinho Neto, desenvolve investigações sobre pobreza, estratégias de sobrevivência, educação e ensino superior em Angola. É autora da tese Educação e desenvolvimento: a formação superior de angolanos em Portugal e no Brasil.

 

 

 Marcelo Mosse (Centro de Integridade Pública) É jornalista, Diretor Executivo do Centro de Integridade Pública em Moçambique. É autor do livro Breve análise à estratégia anti-corrupção do governo : do dilema salarial, dos códigos de conduta e da urgência de planos de acção sectoriais (Editora Centro de Integridade Pública de Moçambique).

 

 


Juliano Gomes 
é crítico de arte, ensaísta, diretor e professor. Formado em Cinema, Doutorando em Comunicação (ECO-UFRJ). Dirigiu o curta "..." (2007).  Lecionou na na Pós Graduação em Audiovisual na UNOCHAPECO (2013), na Academia Internacional de Cinema (AIC-RJ-2016-atual) além de cursos livres da na Vila das Artes  (Fortaleza -2014-2016), Semana dos Realizadores (2014) e no Festival Fronteira (2014/2015) . Redator na Revista Cinética desde 2008. Já participou do comitê de seleção do Curta Cinema, Mostra do Filme Livre. Foi Júri do FBCU (2012), Cachoeira Doc (2014) e Fronteira Festival (2015). Publicou em diversas publicações de cinema como Filme&Cultura, e catálogos de mostras de festivais como Hitchcock é o Cinema  (BH, 2013), Claire Denis - um olhar em deslocamento (RJ, 2011), além da Folha de São Paulo, Revista Piauí Online. Participou da avaliação de projetos nos editais estaduais do Ceará (2015) e Pernambuco (2018)  Assina a concepção audiovisual de espetáculos de teatro e dança desde 2010: A Seguir (Micheline Torres), Obituário Ideal (2013 - Dir: Rodrigo Nogueira), Rebeldes - Sobre a Raiva (2013 - dir: Rodrigo Nogueira), Os Inocentes (2011 - Dir: César Augusto). É performer em Help! I need somebody (2013 - da coreógrafa Claudia Muller). Escreveu o texto de apresentação dos álbuns Barulho Feio (2013) e Por elas, sem elas (2015), do compositor Rômulo Fróes. Colaborou para o blog “Matéria” e para o catálogo do Festival Novas Frequências (2015), escrevendo sobre música. Programa a Sessão Cinética no IMS desde 2009. É sócio da produtora Fauna, em sociedade com Léo Bittencourt, desde 2014, com que lançou o curta As Ondas (2016). Está finalizando o longa Aterro, previsto para 2019.

 

 

 Noel Carvalho (Unicamp) Professor da Universidade Estadual de Campinas, investiga os temas: cinema e cultura brasileira; o negro e o cinema brasileiro; cinema e política; produção, inovação e mercado cinematográfico.

 

 

 

Carmen Luz (Escola de Cinema Darcy Ribeiro)

 

 

Comissão Organizadora

André Souto Witer (SESC)
Irene Barcelos (CEFET/RJ)
Leonardo Moraes Batista (SESC)
Nuno Fragoso Vidal (CEFET/RJ)
Renilda Barreto (CEFET/RJ)
Roberto Borges (CEFET/RJ)
Suzana Cardoso (CEFET/RJ)


Comissão Científica

Justino Pinto de Andrade (Universidade Católica de Angola)
Lina Aras (UFBA)
Malyn Newitt (King’s College London)
Nuno Fragoso Vidal (CEFET/RJ)
Renilda Barreto (CEFET/RJ)
Roberto Borges (CEFET/RJ)
Valdemir Zamparoni (UFBA)

Inscrições

 

 

 

 
Fim do conteúdo da página