Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Laboratórios
Início do conteúdo da página

Laboratórios

Última atualização em Sexta, 07 de Maio de 2021, 16h59 | Acessos: 3673

O Programa de Pós-Graduação em Relações Étnico-Raciais (PPRER) conta com quatro laboratórios associados, a saber: a) o Núcleo de Estudos Afro-brasileiros (NEAB); b) o Observatório de Histórias, Culturas, Artes e Literaturas Indígenas (OHCALI); c) o Laboratório de História da Ciência (LHC); e d) o Observatório de Populações com Direitos Ameaçados (OPDA).

a) O NEAB é, hoje, um entre os mais de oitenta núcleos de estudos afro-brasileiros existentes em instituições públicas de Ensino Superior no Brasil e está ligado a eles por intermédio do Consórcio Nacional dos Núcleos de Estudos Afro-Brasileiros (CONNEABs), fazendo parte também da Associação Brasileira de Pesquisadores(as) Negros(as) – ABPN. Desde sua criação, o NEAB tem assumido o papel institucional de promover a formação no campo das relações étnico-raciais, de estimular a produção de conhecimento e de fomentar a realização de ações que contribuam para o reconhecimento, resgate e valorização histórica dos povos africanos e afrodescendentes por meio de estudos sobre a identidade e cultura negras. Além disso, o NEAB vem assessorando diversas diretorias e setores da instituição na formulação, execução e gestão das políticas públicas, contribuindo para o fortalecimento, criação e implementação de diretrizes, metas e ações com foco na superação das diferentes formas de discriminação étnico-racial e na promoção da equidade.

 

b) O OHCALI é um observatório autônomo, porém, assim como o NEAB, está associado ao PPRER, auxiliando na superação de diferentes formas de discriminação étnico-racial e contribuindo na gestão das políticas públicas institucionais voltadas para a promoção da equidade étnico-racial. Enquanto uma parte significativa das instituições de ensino superior e institutos federais de educação tecnológica do país possui seus respectivos NEABIs (Núcleos de Estudos e Pesquisas Afro-brasileiros e Indígenas), a justificativa para a criação do OHCALI reside na necessidade de maior representatividade identitária das populações originárias (povos indígenas de diversas etnias, caiçaras, ribeirinhos, dentre outras denominações). Para que a temática indígena não ficasse subordinada aos estudos das relações étnico-raciais sobre a população negra, o OHCALI desenvolve de forma autônoma – sem deixar de dialogar, entretanto, com o NEAB – estudos e ações de ensino, pesquisa e extensão de modo a conferir visibilidade e protagonismo aos saberes e tradições indígenas e a promover divulgação, produção e intercâmbio de ideias, diálogos e vivências.

 

c) O Laboratório de História da Ciência (LHC), que está vinculado também ao Programa de Pós-Graduação em Ciência, Tecnologia e Educação (PPCTE) do CEFET/RJ, tem por objetivo transformar as pesquisas acadêmicas em vídeos-educativos destinados à educação básica e disponibilizados na plataforma de compartilhamento de vídeos YouTube, na conta do LHC. Recentemente, o LHC foi contemplado pelo edital Apoio à Difusão e Popularização da Ciência e Tecnologia no Estado do Rio de Janeiro, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ), e foram produzidos nove vídeo-documentários sobre a cidade do Rio do Janeiro, em fins do século XIX e início do século XX, que abordaram os temas ciência, lazer e educação. Dentro dessas temáticas, destaca-se a questão da pobreza e da marginalização dos negros no pós-abolicionismo, bem como dos espaços de assistência para esse contingente populacional.

 

d) O Observatório de Populações com Direitos Ameaçados (OPDA) reúne pesquisadores ligados ao PPRER, ao Programa de Pós-Graduação em Ciências da Computação (PPCIC) e ao  Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção e Sistemas (PPPRO). O OPDA tem por objetivo subsidiar com informações qualificadas eventuais políticas públicas voltadas para a questão dos refugiados no Brasil e mais especificamente no município do Rio de Janeiro; incentivar, por meio de uma análise pautada nos Direitos Humanos, a inserção efetiva do tema refúgio, na agenda política nacional; e disponibilizar conteúdos de relevância científica para estudiosos e pesquisadores. Conta com a parceria com a Cáritas Brasileira, Sesc Nacional, Cátedra Sérgio Vieira de Mello do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

 

Todos os Laboratórios integram alunos da Graduação, Pós-Graduação, Ensino Médio-Técnico do CEFET/RJ, bem como professores, pesquisadores, técnicos-administrativos do CEFET/RJ e de outras instituições (UERJ, FIOCRUZ, UFF, UFRJ). A interdisciplinaridade, a circulação e a democratização do conhecimento formam o eixo estruturante desses espaços.

Fim do conteúdo da página