Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Disciplinas
Início do conteúdo da página

Disciplinas

Acessos: 3198

O Mestrado em Desenvolvimento Regional e Sistemas Produtivos (PPDSP) é um curso de pós-graduação stricto-sensu que pode ser integralizado em um prazo mínimo de 12 meses ou em um prazo máximo de 24 meses. Para integralizar o curso, o candidato deverá cumprir um plano de estudos que compreende:

Cursar, com rendimento satisfatório, um total de 24 créditos em disciplinas sendo, 6 créditos de disciplinas obrigatórias e 18 créditos de disciplinas eletivas;

Cursar, com rendimento satisfatório, as disciplinas obrigatórias de “Seminário para Dissertação de Mestrado” (0 créditos) e “Pesquisa para Dissertação de Mestrado” (0 créditos). Para os alunos bolsistas (apenas), é obrigatório cursar também, com rendimento satisfatório, a disciplina “Estágio de Docência” (0 créditos);

Disciplinas obrigatórias: Pesquisa e Produção Científica; Desenvolvimento Local e Sistemas Produtivos, Seminário para Dissertação de Mestrado, Pesquisa para Dissertação de Mestrado.

Disciplinas Eletivas: Sustentabilidade; Serviços e Políticas Públicas; Saúde Pública; Qualidade nas Organizações; Planejamento e Transportes; Inovação, Redes e Arranjos Produtivos; Geração e Difusão de Tecnologia no Agronegócio; Estatística Aplicada; Energia e Meio Ambiente; Empreendedorismo e Desenvolvimento; Educação Pública; Competitividade e Sistemas Produtivos; Ciclo de Vida, Inovação e Marketing Ambiental; Alimentação e Saúde do Trabalhador; Tópicos Especiais em Desenvolvimento Regional; Tópicos Especiais em Sistemas Produtivos.

Também deverá: desenvolver, apresentar e defender o texto de uma dissertação de autoria própria do aluno, perante uma banca examinadora composta por docentes do PPDSP e membros externos ao Programa.

 

Ano de Referência: 2019
Instituição de Ensino: CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECN. CELSO SUCKOW DA FONSECA (CEFET/RJ)
Programa: DESENVOLVIMENTO REGIONAL E SISTEMAS PRODUTIVOS (31022014010P3)

 

Alimentação e Saúde do Trabalhador
Sigla: DE Número: 68177 Créditos: 3
Data de Início: 11/02/2019 Data de Fim: -

Ementa: Hábitos e práticas alimentares. Necessidades e recomendações nos diferentes ciclos da vida. A saúde do trabalhador. Segurança alimentar. Avaliação nutricional. Alimentação na promoção da saúde e prevenção de doenças. Métodos e instrumentos para avaliação do consumo alimentar de agregados e indivíduos. Métodos físico-químicos, cromatográficos e espectroscópicos.

Bibliografia:PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 66, DE 25 DE AGOSTO DE 2006 - Altera os parâmetros nutricionais do Programa de Alimentação do Trabalhador - PAT BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Coordenação – Geral da Política de Alimentação e Nutrição. Guia Alimentar para a população brasileira: Promovendo a alimentação saudável/ Alimentação e Nutrição. Brasília: Ministério da Saúde, 2006. LIGHTFOOT, N. F. Analise microbiológica de alimentos e água: guia para a garantia da qualidade. Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 2003. 284p.

 


 
 
Ciclo de Vida, Inovação e Marketing Ambiental
Sigla: DE Número: 68209 Créditos: 3
Data de Início: 11/02/2019 Data de Fim: -

Ementa: Sustentabilidade, Pensamento do Ciclo de Vida e Eco-eficiência. Avaliação do Ciclo de Vida (ACV). Gestão do Ciclo de Vida. Produção e Consumo Sustentáveis. Produção Mais Limpa. Criatividade e Inovação. Inovação Ambiental: Determinantes, Conceitos, Tipologias, Métricas e Políticas. Marketing Ambiental: Conceitos, Características, Ações e Funções. Produtos Ecológicos: Imagem, Eco-design, Embalagem, Certificação, Rotulagem e Garantias. Preço, Distribuição, Comunicação e Marca de Produtos Ecológicos.

Bibliografia:ARRUDA, C. & CARVALHO, F. (Eds.). Inovações ambientais: políticas públicas, tecnologias e oportunidades de negócios. Rio de Janeiro : Elsevier, 2014. DIAS, R. Eco-inovação: caminho para o crescimento sustentável. São Paulo : Atlas, 2014. DIAS, R. Marketing ambiental: ética, responsabilidade social e competitividade nos negócios. 2. ed. São Paulo : Atlas, 2014. ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT (OECD). Sustainable manufacturing and eco-innovation framework, practices and measurement. [Synthesis Report]. OECD, Paris, France, 2009. OTTMAN, J. A. As novas regras do marketing verde: estratégias, ferramentas e inspiração para o branding sustentável. São Paulo : Makron Books, 2012. UNITED NATIONS ENVIRONMENT PROGRAMME (UNEP). Life cycle approaches: the road from analysis to practice, [Report]. UNEP : SETAC : Life Cicle Iniciative, Nairobi, Kenya, 2005. UNITED NATIONS ENVIRONMENT PROGRAMME (UNEP). Life cycle management: a business guide to sustainability, [Report]. UNEP : SETAC : Life Cicle Iniciative, Nairobi, Kenya, 2007. UNITED NATIONS ENVIRONMENT PROGRAMME (UNEP). Greening the economy through life cycle thinking. [Report]. UNEP : SETAC : Life Cicle Iniciative, Nairobi, Kenya, 2012.


 

 
Competitividade e Sistemas Produtivos
Sigla: DE Número: 68204 Créditos: 3
Data de Início: 11/02/2019 Data de Fim: -

Ementa: As organizações e a abordagem multiparadigmática para o campo da disciplina de estratégia. As escolas de pensamento sobre formação de estratégias. Gestão do desenvolvimento e o campo da competitividade: os enfoques da competição e da cooperação. A mudança e a adaptação estratégica no contexto dos sistemas produtivos.

Bibliografia:PORTER, M. E. Estratégia competitiva: técnicas para análise de indústrias e da concorrência. Rio de Janeiro: Campus, 2004. WRIGHT, P., KROLL, M. J. ; PARNEL, J. Administração Estratégica: conceitos. São Paulo: Atlas, 2000.


 

 
Desenvolvimento Local e Sistemas Produtivos
Sigla: DE Número: 68146 Créditos: 3
Data de Início: 11/02/2019 Data de Fim: -

Ementa: Estado e Gestão Pública, externalidades, o papel do governo na preservação do meio ambiente, As políticas públicas. Organização de sistemas produtivos. Estudo de casos em desenvolvimento regional e de sistemas produtivos.

Bibliografia:ARVATE, Paulo Roberto. Economia do Setor Público no Brasil. Campus, 2005. MANKIW, N. Gregory. Introdução à economia: princípios de micro e macroeconomia. 2. ed. Rio de Janeiro -RJ: Campus, 2001. ANDREOLI, Taís Pasquotto. Organização de sistemas produtivos: decisões estratégicas e táticas. Intersaberes, 2014. BATEMAN, T.; SNELL, S. Administração, novo cenário competitivo. 2.ed.; São Paulo: Atlas, 2006. ARAÚJO, Luis César G. Organização, Sistemas, e Métodos e as Tecnologias de Gestão Organizacional. 2 Ed. São Paulo: Atlas, 2008.


 

 
Educação Pública
Sigla: DE Número: 68203 Créditos: 3
Data de Início: 11/02/2019 Data de Fim: -

Ementa: Retrospectiva político-educacional brasileira. Sistemas educacionais no Brasil. Educação comparada. As políticas educacionais na contemporaneidade, seus limites e possibilidades no contexto escolar brasileiro. As questões contemporâneas em torno das ações de inclusão social. Noção de cidadania e sustentabilidade.

Bibliografia:CARNEIRO, Moaci Alves. LDB fácil: leitura crítico - compreensiva artigo por artigo. 13. ed. Petrópolis-RJ: Vozes, 2006. LEI Nº 13.005, DE 25 DE JUNHO DE 2014. Plano Nacional de Educação, 2015. Artigos Complementares. Artigos diversos.


 

 
Empreendedorismo e Desenvolvimento
Sigla: DE Número: 68201 Créditos: 3
Data de Início: 11/02/2019 Data de Fim: -

Ementa: A competitividade organizacional e territorial, com foco em estratégias baseadas na criação de negócios e empreendimentos inovadores que potencializam avanços em termos de melhoria da performance organizacional e do desenvolvimento local (local aqui entendido como o espaço sobre o qual se estabelece as relações socioeconômicas dos empreendimentos produtivos). As teorias, modelos e abordagens que descrevem e explicam o empreendedorismo e sua relação com o desenvolvimento das regiões. Empreendedorismo e seus conceitos culturais e sociais.

Bibliografia:DOSI, G. Mudança técnica e transformação industrial. Campinas: Editora da Unicamp, 2006. WOLFF, Simone. Desenvolvimento local, empreendedorismo e "governança" urbana: onde está o trabalho nesse contexto?. Cad. CRH, Salvador, v.27, n.70, p.131-150, Apr. 2014 JULIEN, Pierre-André. Empreendedorismo regional e economia do conhecimento. Saraiva, 2010.


 

 
Energia e Meio Ambiente
Sigla: DE Número: 68198 Créditos: 3
Data de Início: 11/02/2019 Data de Fim: -

Ementa: Padrões de uso da energia no Brasil, a conservação, a energia de combustíveis fósseis, a energia solar, as fontes renováveis de energia e a energia nuclear. Destaque à participação das fontes renováveis na matriz energética brasileira, procurando contribuir para o debate da questão energética nacional. Estudo de Caso de Modelos Sustentáveis de Produção e Desenvolvimento.

Bibliografia:DREW, David. Processos interativos homem-meio ambiente. Ed. Bertrand Brasil. 2005 LEITE, Paulo Roberto. Logística reversa, meio ambiente e competitividade. Ed.Pearson. 2009. SILVA , Ennio Peres. Fontes Renováveis de Energia - Produção de Energia Para Um Desenvolvimento Sustentável. Livraria Da Física. 2014 KLEINBACH, Merlin; HINRICHS, Roger A.; REIS, Lineu Belico dos. Energia e Meio Ambiente. Cengage Learning, 2010.


 

 
Estatística Aplicada
Sigla: DE Número: 68189 Créditos: 3
Data de Início: 11/02/2019 Data de Fim: -

Ementa: Ferramentas estatísticas da qualidade, Medidas para amostras, probabilidade, distribuição discreta e normal, Teste de hipóteses, Gráficos de controle e amostragem. Aplicações com uso de ferramentas computacionais de apoio a pesquisa.

Bibliografia:VIEIRA, Sonia. Estatística para a qualidade como avaliar com precisão a qualidade em produtos e serviços. Ed.Campus. 2014. MONTGOMERY, Douglas C.; RUNGER, George C. Estatística Aplicada e Probabilidade para Engenheiros 2ª Edição; Rio de Janeiro: LTC, 2003. FREUND, John E. Estatística aplicada: economia, administração e contabilidade. Tradução de Claus Ivo Doering. 11.ed. Porto Alegre: Bookman, 2006. 536p


 

 
GERAÇÃO E DIFUSÃO DE TECNOLOGIA NO AGRONEGÓCIO
Sigla: DE Número: 68205 Créditos: 3
Data de Início: 11/02/2019 Data de Fim: -

Ementa: O cenário atual do agronegócio brasileiro. Conceitos em Agronegócio. Análise de fatores críticos e de sucesso no agronegócio. Políticas públicas para o agronegócio. Sustentabilidade, tendências e inovações para o agronegócio brasileiro. Difusão Tecnológica no agronegócio.

Bibliografia:ARAUJO, M. J. Fundamentos de agronegócios. São Paulo: Editora Atlas. 2018. CALLADO, A.A.C. Agronegócio. 4 edição. São Paulo: Editora Atlas. 2015. PERES, T.B.& FAVACHO, F. Agronegócio. v.1. Chiado Editora Brasil. 2017. ZUIN, L.F.S.& QUEIROZ, T.R. Agronegócios: gestão, inovação e sustentabilidade. 2 edição. Editora Saraiva. 2019.


 

 
Inovação, Redes e Arranjos Produtivos
Sigla: DE Número: 68193 Créditos: 3
Data de Início: 11/02/2019 Data de Fim: -

Ementa: As dimensões sócio-culturais e intersubjetivas contidas na produção de conhecimentos; Dinâmica da ciência e tecnologia no contexto social: ciência, tecnologia e trabalho: atores, organizações e redes sociais; Novas tecnologias, sistema de inovação e desenvolvimento auto-sustentável; Valores éticos e morais estruturados no processo de cooperação tecnológica em rede; Redes de cooperação em pesquisa e desenvolvimento articulados em sistemas de inovação; Novas tecnologias de co-produção emergentes em comunidades locais. O papel das redes no desenvolvimento da cidade na ótica do planejamento.

Bibliografia:BRITTO, Jorge Nogueira de Paiva. Cooperação interindustrial e redes de empresas. In: KUPFER, D. & HASENCLEVER, L. (Orgs.). Economia Industrial: fundamentos teóricos e práticas no Brasil. 2. ed. Rio de Janeiro : Elsevier, 2013, p. 211-230. DIAS, Leila C. e SILVEIRA, Rogério L. L. (Orgs). Redes. Sociedades e territórios. Santa Catarina: Edunisc, 2005. FIGUEIREDO, Paulo Cesar Negreiros de. Gestão da inovação: conceitos, métricas e experiências de empresas no Brasil. 2. ed. Rio de Janeiro : LTC, 2015. IGLIORI, Danilo Camargo. Economia dos clusters industriais e desenvolvimento. São Paulo: Iglu: Fapesp, 2001. RAPINI, Márcia Siqueira; SILVA, Leandro Alves; ALBUQUERQUE, Eduardo da Motta (Orgs.). Economia da ciência, tecnologia e inovação: fundamentos teóricos e a economia global. Curitiba : Prismas, 2017. SUZIGAN, Wilson; ALBUQUERQUE, Eduardo da Motta; CARIO, Silvio Antonio Ferraz. (Orgs.). Em busca da inovação: interação universidade-empresa no Brasil. Belo Horizonte : Autêntica, 2011. TIDD, Joe; BESSANT, John. Gestão da inovação. 5. ed. Porto Alegre : Bookman, 2015. TIGRE, Paulo Bastos. Gestão da inovação: a economia da tecnologia do Brasil. 2. ed. Rio de Janeiro : Elsevier, 2014.


 

 
Pesquisa e Produção Científica
Sigla: DE Número: 68145 Créditos: 3
Data de Início: 11/02/2019 Data de Fim: -

Ementa: A escolha do tema de uma pesquisa. A pesquisa na área de Planejamento Urbano Regional. Integridade cientifica. A acessibilidade das fontes: dados primários e dados secundários. Levantamento da documentação. Leitura e ordenamento do material. O quadro metodológico da pesquisa. Reexame do tema à luz do material recolhido. Produção Textual em área temática.

Bibliografia:ALVES-MAZZOTTI, A. J; GEWANDSZNAJDER, F. O método nas ciências naturais e sociais: pesquisa quantitativa e qualitativa, 2. ed. São Paulo : Pioneira, 1998. EISENHARDT, Kathleen. M. Building theories from case study research. The Academy of Management Review, v. 14, n. 4, p. 532-550, 1989. GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo : Atlas, 2011. MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010. MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Metodologia do trabalho científico: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações e trabalhos científicos. 7. ed. São Paulo : Atlas, 2012. LAVILLE, Cristian; DIONNE, Jean; MONTEIRO, Heloísa (Orgs.). SATTIERRI, Francisco (Trad.). A construção do saber: manual de metodologia de pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Editora Artes Médicas (ARTMED); Belo Horizonte: UFMG, 1999. VASCONCELOS, Eduardo Mourão. Complexidade e pesquisa interdisciplinar: epistemologia e metodologia operativa. 6. ed. Petrópolis, RJ : Vozes, 2013.


 

 
PESQUISA PARA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO
Sigla: DE Número: 68301 Créditos: 0
Data de Início: 11/02/2019 Data de Fim: -

Ementa: Desenvolvimento da dissertação de mestrado com acompanhamnto do oientador

Bibliografia:A ser determinada pelo orientador após a escolha do tema de Dissertação. MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO CEFET, 2016.


 

 
Planejamento e Transportes
Sigla: DE Número: 68186 Créditos: 3
Data de Início: 11/02/2019 Data de Fim: -

Ementa: Planejamento, mobilidade e acessibilidade. Transporte e Uso do Solo. Demanda e Conceito de Elasticidade. Planejamento de Transportes. Modelo Sequencial e de Geração de Viagens. Modelo de Distribuição de Viagens. Divisão Modal e alocação de fluxo. Indicadores de sustentabilidade e desenvolvimento.

Bibliografia:CAMPOS, Vânia Barcellos Gouvêa. Planejamento de transportes: conceitos e modelos. 1. ed. – Rio de Janeiro: Interciência, 2013 PORTUGAL, L.S. Transporte, Mobilidade e Desenvolvimento Urbano. Elsevier, 2017 VALENTE, A.M. et al. Qualidade e Produtividade nos Transportes. CENGAJE Learning Ed. São Paulo, 2008.


 

 
Qualidade nas Organizações
Sigla: DE Número: 68182 Créditos: 3
Data de Início: 11/02/2019 Data de Fim: -

Ementa: Abordagem histórica da qualidade. Sobrevivência e produtividade. Controle da qualidade total (TQC). Métodos de análise e solução de problemas. Casos de melhoria contínua e os sistemas produtivos.

Bibliografia:CAMPOS, Vicente Falconi. TQC Controle da Qualidade Total no Estilo Japonês. 2014. JURAN, J. M. A qualidade desde o projeto: novos passos para o planejamento da qualidade em produtos e serviços. São Paulo: Cengage Learning, 1992. 551 p.


 

 
Saúde Pública
Sigla: DE Número: 68179 Créditos: 3
Data de Início: 11/02/2019 Data de Fim: -

Ementa: Tipos de sistemas de saúde. Organização dos serviços. Sistema Único de Saúde. Qualidade dos serviços. Políticas de saúde. A saúde do homem e da mulher. Avaliação de serviços de saúde. Avaliação de programas de saúde. Avaliação de desempenho de sistemas de saúde. O processo saúde-doença. Ações responsáveis no campo das políticas públicas: família, sociedade e estado. O desenvolvimento regional e as políticas públicas de melhoria da qualidade de vida.

Bibliografia:BRASIL. Lei Federal n°8080 de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Brasília, DOU 20 set. 1990. BRASIL. Lei Federal n°8142 de 28 de dezembro de 1990 Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS} e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. Brasília, DOU, 31 dez. 1990. SCLIAR, M. (org.). Saúde pública: histórias, políticas e revolta. São Paulo: Scipione, 2002. OGUISSO, T.; ZOBOLI, E. Ética e bioética: desafios para a enfermagem e a saúde. Barueri, SP: Manole, 2006. GIOVANELLA, L. et al. Políticas e sistema de saúde no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, Cebes, 2008. NOVAES, H.M.D. Avaliação de programas, serviços e tecnologias em saúde. Rev Saúde Pública, 34(5):547-59, 2000. REIS, A.; PEREIRA, A. Saúde de Homens. Editora Águia Dourada, 2017. SILVA, L.K. Avaliação tecnológica e análise de custo-efetividade em saúde: a incorporação de tecnologias e a produção de diretrizes clínicas para o SUS. Ciência & Saúde Coletiva 2003, 8(2):501-520, 2003.


 

 
SEMINÁRIO PARA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO
Sigla: DE Número: 68300 Créditos: 0
Data de Início: 11/02/2019 Data de Fim: -

Ementa: Elaboração e apresentação da proposta de dissertação a ser defendida perante banca avaliadora

Bibliografia:A ser determinada pelo orientador após a escolha do tema de Dissertação. MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO CEFET, 2016.


 

 
Serviços e Políticas Públicas
Sigla: DE Número: 68170 Créditos: 3
Data de Início: 11/02/2019 Data de Fim: -

Ementa: Política Pública e Desenvolvimento. Dimensão de conteúdo (tipos de política pública); Dimensão temporal (ciclo de políticas públicas); dimensão espacial (instituições); dimensão de atores; dimensão comportamental (estilos de políticas públicas). Conceito de serviços públicos. Parcerias na exploração e gestão de bens públicos. Tecnologia da informação aplicada aos serviços. Avaliação de serviços públicos. Casos aplicados.

Bibliografia:CARR, David K.; LITTMAN, Ian D. Excelência nos Serviços Públicos. Qualitymark, 1998. BRUDEKI, Nelson Martins. Gestão de Serviços Públicos Municipais. Ibpex, 2013. CORRÊA, Henrique L.; CAON, Mauro. Gestão de serviços. São Paulo: Atlas, 2002. ROCHA, J.A.O. Gestão da Qualidade: Aplicação aos Serviços Públicos. Escolar Editora, 2006. MADEIRA, L.M. Avaliação de Políticas Públicas. UFRGS/CEGOV, 2014 SECCHI, Leonardo. Políticas Públicas - Conceitos, Esquemas de Análise, Casos Práticos. Cengage Learning - 2ª Ed. 2013 DI GIOVANNI, G. As Estruturas Elementares das Políticas Públicas. (Caderno de Pesquisa Nº 82). Campinas: NEPP, Unicamp, 2009. MORAN, M., REIN, M., GOODIN, R.E. The Oxford Handbook of Public Policy. New York: Oxford University Press, 2006.


 

 
Sustentabilidade
Sigla: DE Número: 68147 Créditos: 3
Data de Início: 11/02/2019 Data de Fim: -

Ementa: A degradação dos recursos naturais, a extinção das espécies, o aquecimento global. Estudo de degradação do meio ambiente e de impactos ambientais. A biodiversidade como elemento de importância estratégica. Bioindicadores de degradação do meio ambiente. A incorporação de modelos sustentáveis de uso dos recursos naturais. Princípios básicos para a conceituação de impacto ambiental. Avaliação de impacto ambiental e legislação pertinente (Resoluções Conama 001/86 e 237/97). Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e Relatório de Impacto Ambiental (RIMA). Instrumentos de planejamento e gestão ambiental.

Bibliografia:AMATO NETO, J. (Org.). Sustentabilidade & produção: teoria e prática para uma gestão sustentável. São Paulo: Atlas, 2011. DIAS, Reinaldo. Sustentabilidade: origem e fundamentos, educação e governança global e modelo de desenvolvimento. São Paulo : Atlas, 2015. DIAS, Reinaldo. Gestão ambiental: responsabilidade social e sustentabilidade. 3 ed. São Paulo : Atlas, 2017. MAY, Peter H. Economia do meio-ambiente: teoria e prática. 2 ed. Elsevier, 2010. ALMEIDA, Fernando. Os desafios da sustentabilidade uma ruptura urgente. Ed. Elsevier. 2007 GADOTTI, Moacir, Educar para a sustentabilidade uma contribuição à década da educação para o desenvolvimento sustentável. Instituto Paulo Freire. 2009.


 

 
TÓPICOS ESPECIAIS EM DESENVOLVIMENTO REGIONAL
Sigla: DE Número: 68302 Créditos: 0
Data de Início: 11/02/2019 Data de Fim: -

Ementa: Conteúdos específicos a serem ministrados de acordo com as necessidades e demandas emergentes.

Bibliografia:Sob orientação do docente. Bibliografia aplicada.


 

 
TÓPICOS ESPECIAIS EM SISTEMAS PRODUTIVOS
Sigla: DE Número: 68303 Créditos: 0
Data de Início: 11/02/2019 Data de Fim: -

Ementa: Conteúdos específicos a serem ministrados de acordo com as necessidades e demandas emergentes.

Bibliografia:A ser definida.


 

 
 
Fim do conteúdo da página