Dissertações e produtos - PPECM

DocumentosData de inclusão

Ordenar por : Nome | Data | Acessos | [ Descendente ]
(SABRINA FERNANDES ASSIS - Marco Antonio Barbosa Braga) Neste trabalho procurou-se mostrar uma proposta de educação científica diferenciada cujo objetivo foi verificar a viabilidade da aprendizagem através de uma metodologia em que grupos de alunos, denominados Células de Inovação, se organizaram buscando criar soluções para problemas concretos. A metodologia utilizada por esses grupos pôde ser dividida em cinco etapas: a) problematização: discussão de um problema concreto da escola, do bairro ou da cidade que envolva as relações ciência, tecnologia e sociedade; b) investigação: pesquisa dos conteúdos científicos e tecnológicos que possam resolver o problema; c) projeto: discussão das soluções encontradas e da viabilidade técnica e econômica de sua implementação; d) experimentação: teste das principais soluções encontradas para a escolha final daquela que será implantada e) solução: implementação concreta da solução do problema e apresentação dos resultados para a comunidade. O trabalho foi acompanhado por uma pesquisa etnográfica, associando à técnica de Grupo Focal, a fim de compreender como os alunos se comportaram em cada uma das etapas do projeto. Nessa pesquisa acompanhou-se as atividades de uma Célula cujo problema central foi a condição ambiental de salas de aula que apresentavam alto nível de ruído e altas temperaturas durante o período diurno. No que tange aos conteúdos, a pesquisa procurou verificar quais conhecimentos de Física foram apreendidos no processo e como eles se articularam com a rede de conhecimentos envolvidos (problemas CTS). Quanto à metodologia, foi observado como os alunos se organizaram nas Células, que fontes foram utilizadas na busca das soluções e como eles pesquisaram em tais fontes, entre outros pontos.
(Julio Affonso Carrapito Neto - Sérgio Eduardo Silva Duarte) Neste trabalho são apresentados roteiros para atividades em geometria plana desenvolvida com o apoio de um programa de geometria dinâmica livre e gratuito, denominado Geogebra. São discutidas a metodologia para o desenvolvimento dessas atividades, os resultados da aplicação com alunos da rede pública de ensino e a análise desses resultados. No final são feitas considerações sobre a experiência de realizar este presente trabalho. O objetivo portanto é o de ampliar e contribuir para a discussão da utilização da informática na educação e como ela pode se tornar uma ferramenta para o processo de ensino -aprendizagem de Matemática.
(LUCIANA BREDER PERES TRAN - Paulo de Faria Borges) Neste trabalho foi analisado, com base na Teoria da Aprendizagem Significativa de David Ausubel, o uso de materiais curriculares e estratégias instrucionais adequadas que serviram de catalisadores da aprendizagem significativa em Ciências e Física. Por meio de uma análise qualitativa de um relato de experiência de uma professora de Física na Escola Estadual Dom Orione, no período letivo de 2003 e 2004. E, através do estudo de caso da prática da professora Maria Aparecida na Escola Municipal Dr. Adhemar Resende Andrade com seus alunos da 1ª etapa do Ensino Fundamental, no período de 2002 a 2006. Os instrumentos de coletas de dados foram as observações participativas, entrevistas e a utilização de recursos como: fotografias e filmagens das aulas, dos objetos construídos pelas educandos, das atividades práticas e dos relatórios confeccionados pelos alunos. Foi realizado um trabalho diferenciado, em que as educadoras de Física e de Ciências desenvolveram uma prática Neste trabalho, foi analisado, com base na Teoria da Aprendizagem Significativa de David Ausubel, o uso de materiais curriculares e estratégias instrucionais adequadas que serviram de catalisadores da aprendizagem significativa em Ciências e Física. Por meio de uma análise qualitativa de dois relatos de experiência de duas professoras, uma do ensino médio e uma da primeira etapa do ensino fundamental da rede pública de Juiz de Fora/MG entre os anos de 2002 a 2006. Os instrumentos de coletas de dados foram as observações participativas, entrevistas e a utilização de recursos como fotografias e filmagens. Foi realizado um trabalho diferenciado, em que as educadoras de Física e de Ciências desenvolveram uma prática pedagógica fundamentada nos conhecimentos prévios do aprendiz. Foi efetuado um diagnóstico, no qual as professoras puderam obter informação sobre o contexto sócio-econômico dos estudantes e da escola e, com base nesse construir um planejamento integrado à realidade e ao currículo. Por meio da conexão entre teoria e prática, as professoras possibilitaram uma aprendizagem mais concreta, com isso, proporcionaram um ambiente favorável ao desenvolvimento de um processo de aprendizagem significativa com experiências afetivas positivas e, também, auxiliaram na formação cidadã dos alunos.
(Maria Inês Martins de Toledo - Rafael Barbastefano) Nos meios educacionais, tem sido tomado como consenso geral que as formas geométricas podem servir como modelos elementares para muitos tipos de fenômenos do cotidiano. Partindo-se desse princípio foram criadas atividades para o ensino da Geometria Espacial e, fundamentado na metodologia Estudo de Caso, o objetivo deste trabalho é uma reflexão sobre a aplicação de equipamentos concretos e softwares na aprendizagem de Sólidos de Revolução. Considerando os Parâmetros Curriculares Nacionais, as atividades utilizadas na avaliação, em ambos os casos, têm como pressuposto, adequar o ensino de Sólidos de Revolução aos níveis do desenvolvimento do pensamento de van Hiele, assim como à teoria construtivista direcionada ao ensino e aprendizagem da geometria. Com o uso da informática procurou-se de maneira dinâmica enfatizar o desenvolvimento da visualização, como ferramenta fundamental para uma leitura mais acurada do mundo à nossa volta, e análise das características de regularidade das formas geométricas, de modo a direcionar o aluno a identificar, diferenciar, reconhecer, comparar, as formas relacionadas aos Sólidos de Revolução. Assim, explorando os princípios da realidade virtual, visando uma interatividade com os alunos, disponibilizaram-se através do site pessoal, as páginas com as atividades vinculadas aos sólidos de revolução, utilizando-se da programação em VRML. Na Conclusão, as experiências realizadas em escolas públicas mostram que há chances de que com esta associação, melhores resultados serão obtidos no futuro.
(Bruno Siqueira de Lemos Gonçalves Brito - Sheila Cristina Ribeiro Rego) O perfil do ensino tradicional de Física se caracteriza por aulas totalmente expositivas onde se enfatizam expressões matemáticas e exercícios de aplicação operacionais. Um ensino de caráter conteudista, centrado no professor, que é considerado detentor e transmissor do conhecimento, e onde o aluno possui uma atitude passiva. Como auxilio ao professor de Ciências que deseja utilizar em suas práticas pedagógicas metodologias com ênfases progressistas, nas quais o seu papel é de orientador da aprendizagem do aluno, esperando que este tenha uma atitude ativa na construção de seu próprio conhecimento, possuindo agora um papel ativo, é defendida neste trabalho a utilização de atividades investigativas no ensino de Ciências e, particularmente, no ensino de Física. Utilizando uma sequência de ensino que se aproxime da atividade investigativa conhecida como laboratório investigativo, procuramos examinar de que forma sua realização na disciplina de Física, no Ensino Médio regular, no decorrer de uma sequência de ensino sobre energia, pode promover habilidades relacionadas ao trabalho científico tais como descrever, comparar, desenhar experimentos, discutir e questionar. A sequência, produto desta pesquisa, foi aplicada em uma turma de segundo ano de um colégio público, em sala de aula, pelo próprio pesquisador, que era o professor regente da turma. Detalhamos neste trabalho todas as etapas da sequência e sua aplicação. Foram analisados vídeo gravações das aulas e relatórios produzidos por alunos ao final da sequência. Verificou-se que a execução de algumas atividades pelos alunos e atitudes por parte do professor, provavelmente, ajudaram os alunos a manifestarem certas habilidades no decorrer da sequência de ensino.
(MARCIO NASSER MEDINA - MARCO BRAGA) Cumpre-se, neste trabalho, defender uma proposta interdisciplinar e transdisciplinar para o Ensino de Ciências, para os alunos das primeiras séries do Ensino Médio já que, por meio de pesquisa de campo e por citações teóricas percebe-se que não é mais suficiente a mera mecanização de conceitos e normas. Apresenta-se uma proposta metodológica que busca um aprendizado das Ciências útil à vida e ao trabalho, no qual as informações, o conhecimento, as competências, as habilidades, e os valores sejam instrumentos reais de percepção, interpretação, julgamento, atuação, aprendizado, satisfação e desenvolvimento pessoal. Propõe-se, então, que o Teatro, a História e a Filosofia da Ciência façam parte das aulas sistemáticas com o objetivo de formar cidadãos criativos, capazes de gerenciar os problemas que lhes são apresentados e, principalmente, que aprendam conceitos de forma definitiva, útil, prazerosa, vendo neles aplicabilidade na vida.  
(Carlos José Afonso Neto -  Marco Antonio Barbosa Braga - Glauco S. F. da Silva) Atualmente, há muitos trabalhos em que se discute o ensino, porém há relativamente poucas pesquisas sobre o Ensino Colaborativo. Nossa proposta foi discutir sobre a codocência num ambiente propício ao Ensino Colaborativo que foi o ambiente do Pibid, Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. Para o desenvolvimento de nosso trabalho, acompanhamos um grupo de jovens aprendizes, todos bolsistas do Pibid e licenciandos de Física do CEFET/RJ, campus Petrópolis. Supervisionamos os bolsistas na aplicação de uma controvérsia simulada CTS, Ciência, Tecnologia e Sociedade, numa escola de educação básica da rede estadual. Incluímos o viés CTS para podermos discutir sobre a natureza da Ciência mostrando que esta, como é desenvolvida por seres humanos, está sujeita a crenças, valores e interesses. Procuramos investigar como os bolsistas perceberam o trabalho em conjunto, o seu próprio e o dos colegas de codocência no ambiente pedagógico. Como desenvolveram relações de confiança entre si e entre o supervisor do Programa e como isso pode desdobrar-se e representar aulas mais significativas para os alunos do ensino médio. Implementamos nossa pesquisa através do uso de um heurístico, que é um tipo de survey em que os bolsistas tinham que indicar semanalmente, o grau de frequência com que praticavam determinadas ações. Além desse acompanhamento, gravamos entrevistas nas quais os bolsistas justificaram seus procedimentos e as respostas ao heurístico. Alguns dos resultados obtidos apontam que, na percepção dos licenciandos, lhes era mais fácil identificar fatos relacionados sobre si mesmos e mais difícil sobre os seus parceiros da codocência. Nossa pesquisa mostrou o quão complexo pode ser fazer reflexão crítica, pois não se trata de algo simples, nem tão pouco trivial. A utilização da codocência mostrou ser um excelente caminho para fazer uma análise reflexiva sobre ensino e o processo ensino-aprendizagem. Como resultado foi construído um produto, o Heurístico da Codocência, que pode ser útil a Professores que desejem fazer uso do Ensino Colaborativo.
(Telma Alves - Marco Antonio Barbosa Braga - Alvaro Chrispino - Samuel Jurkiewicz) Nessa dissertação procura-se mostrar a relevância de elementos de história e filosofia da ciência na formação do professores de matemática. O ponto de partida foi uma investigação preliminar dividida em duas vertentes: a primeira constituiu-se da análise das grades curriculares das licenciaturas de algumas faculdades da região sudeste do Brasil para verificar a participação desse tipo de conhecimento na formação dos futuros professores; a segunda foi uma pesquisa exploratória onde se verificou o quase total desconhecimento por parte dos professores de matemática dessa temática. Esses dados serviram como suporte para a elaboração de uma oficina de formação de professores e de um material didático a ela vinculado. A validação tanto da oficina como do material foi realizada em duas etapas, uma anterior e outra posterior à sua aplicação. Ao término da dissertação procura-se discutir o resultado desses testes e apontar rumos para a inclusão de conhecimentos de história e filosofia da ciência nas licenciaturas de matemática.
(Alexandre Medson da Silva - Marco Antônio Barbosa Braga) Esta dissertação tem o objetivo de detalhar as ações desenvolvidas durante a implantação de um centro de Divulgação Científica (DC) em um ambiente formal, a escola. Todo o trabalho foi desenvolvido junto aos alunos de uma escola estadual da Baixada Fluminense, região da periferia do Estado do Rio de Janeiro, e tem como objetivo aproximar as práticas de DC desta localidade que se mostra carente neste ponto. A inserção de um Centro de Ciências no interior da escola foi o ponto culminante deste trabalho. Sua montagem foi realizada com experimentos elaborados por alunos do curso noturno de Ensino Médio, nas modalidades, Regular e Educação de Jovens e Adultos (EJA). Os impactos da realização do projeto foram mensurados pela procura à visitação do centro de ciências bem como pelos depoimentos dos visitantes.
(ELAINA ALVES SARAIVA - Samuel Jurkiewicz) O corpo discente da educação básica encontra atualmente em seu cotidiano diversos meios atrativos que fazem o ambiente escolar parecer obsoleto. Com a rápida evolução dos aparatos eletrônicos, o uso do computador em sala de aula é um assunto presente nas pesquisas sobre educação escolar. Este trabalho tem como objeto o estudo das funções do primeiro e segundo grau através das planilhas eletrônicas por alunos do ensino secundário. Esse conteúdo é considerado difícil por muitos alunos e mesmo por alguns professores. O uso das planilhas eletrônicas para motivar a aproximação e o desenvolvimento das habilidades neste assunto é uma alternativa possível onde haja um laboratório informática. O método utilizado foi o uso de fichas individuais para instrução sobre o uso das planilhas. Uma parte do trabalho se realizou em aulas na sala de informática, onde o aluno manuseava as planilhas eletrônicas e suas ferramentas básicas como confeccionar tabelas e gráficos e respondia a perguntas investigativas e reflexivas sobre funções do primeiro e segundo graus. Em seguida os alunos responderam fichas avaliativas com perguntas já realizadas ou não na sala de informática para compreender e concretizar o seu conhecimento sobre o assunto. Apenas após este processo os conceitos matemáticos foram formalizados com os alunos.
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 Próximo > Fim >>
JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL