Dissertações e produtos - PPECM

DocumentosData de inclusão

Ordenar por : Nome | Data | Acessos [ Descendente ]
(REGINALDO RIBEIRO SOARES - Paulo de Faria Borges) Neste trabalho, desenvolvemos três textos para o ensino médio acerca da história dos movimentos - desde Aristóteles, trazendo pelas contribuições de Ptolomeu, Copérnico, Brahe, Kepler e Galileu - e uma aula experimental em que os alunos realizaram a experiência do plano inclinado de Galileu. Realizar as medidas de tempo manualmente é extremamente difícil, por isso introduzimos o microcomputador para colher dados, elaborar as tabelas de posição versus tempo e construir os respectivos gráficos. A atividade experimental é aberta, de modo que os alunos tenham oportunidade de explorar, testar e discutir soluções para todo o processo de medida, desde o uso dos sensores LDR nos sistemas de detecção até a construção dos gráficos utilizando uma planilha eletrônica. A fundamentação teórica para o desenvolvimento da proposta é a teoria cognitivista de Piaget e a teoria sócio-interacionista de Vigotski, na qual o desenvolvimento cognitivo não pode ser entendido sem referência ao contexto social, seus signos e instrumentos. Todas as atividades foram desenvolvidas para visar a uma perspectiva pedagógica moderna e testadas em sala de aula em três turmas de 1ª série do ensino médio do Colégio Agrícola Nilo Peçanha-UFF, em Pinheiral-RJ, em 2006. Com esse material conseguimos desenvolver os conteúdos de uma forma mais atrativa, com melhor envolvimento dos alunos e maior motivação por parte dos mesmos, permitindo a participação ativa na aquisição de informações e construção do conhecimento. Observamos que o microcomputador é uma boa ferramenta auxiliar no processo ensino/aprendizagem, e deveria ser visto como mais um aliado entre todos os recursos didáticos existentes, não como único e muito menos substituto do professor, a quem cabe cada vez mais o papel de orientador, estimulador e organizador de um ambiente propício para o processo de ensino/aprendizagem eficaz.
(LUCIANA BREDER PERES TRAN - Paulo de Faria Borges) Neste trabalho foi analisado, com base na Teoria da Aprendizagem Significativa de David Ausubel, o uso de materiais curriculares e estratégias instrucionais adequadas que serviram de catalisadores da aprendizagem significativa em Ciências e Física. Por meio de uma análise qualitativa de um relato de experiência de uma professora de Física na Escola Estadual Dom Orione, no período letivo de 2003 e 2004. E, através do estudo de caso da prática da professora Maria Aparecida na Escola Municipal Dr. Adhemar Resende Andrade com seus alunos da 1ª etapa do Ensino Fundamental, no período de 2002 a 2006. Os instrumentos de coletas de dados foram as observações participativas, entrevistas e a utilização de recursos como: fotografias e filmagens das aulas, dos objetos construídos pelas educandos, das atividades práticas e dos relatórios confeccionados pelos alunos. Foi realizado um trabalho diferenciado, em que as educadoras de Física e de Ciências desenvolveram uma prática Neste trabalho, foi analisado, com base na Teoria da Aprendizagem Significativa de David Ausubel, o uso de materiais curriculares e estratégias instrucionais adequadas que serviram de catalisadores da aprendizagem significativa em Ciências e Física. Por meio de uma análise qualitativa de dois relatos de experiência de duas professoras, uma do ensino médio e uma da primeira etapa do ensino fundamental da rede pública de Juiz de Fora/MG entre os anos de 2002 a 2006. Os instrumentos de coletas de dados foram as observações participativas, entrevistas e a utilização de recursos como fotografias e filmagens. Foi realizado um trabalho diferenciado, em que as educadoras de Física e de Ciências desenvolveram uma prática pedagógica fundamentada nos conhecimentos prévios do aprendiz. Foi efetuado um diagnóstico, no qual as professoras puderam obter informação sobre o contexto sócio-econômico dos estudantes e da escola e, com base nesse construir um planejamento integrado à realidade e ao currículo. Por meio da conexão entre teoria e prática, as professoras possibilitaram uma aprendizagem mais concreta, com isso, proporcionaram um ambiente favorável ao desenvolvimento de um processo de aprendizagem significativa com experiências afetivas positivas e, também, auxiliaram na formação cidadã dos alunos.
(LUIZ ROBERTO BARCELOS - Marco Antonio Barbosa Braga) A presente dissertação visa apresentar técnicas para o ensino de Física com o uso de novas tecnologias mediadas por computador para turmas do Ensino Médio, em especial as turmas do PROEJA - Programa de Integração Profissional Com Ensino Médio na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos – do Colégio Pedro II. Essa proposta foi desenvolvida para que pudéssemos ter aulas mais motivadoras. Para tanto, os conteúdos programáticos foram desenvolvidos com o auxílio de animações e vídeos, e as experiências foram apresentadas através de simulações, pois acreditamos que, dessa forma, esses conteúdos serão melhores assimilados pelos alunos, ajudando o professor a tornar sua aula mais dinâmica.
(FRANCISCO JOSÉ HENRIQUES PEREIRA - Daniel Guilherme Gomes Sasaki) A presente dissertação tem por objetivo contribuir para as discussões a respeito do uso do computador no processo de ensino-aprendizagem. Com esse intuito foi desenvolvida uma sequência de atividades de geometria, baseada nos conteúdos de 9º ano do ensino fundamental, e aplicada com o apoio de um programa de geometria dinâmica - livre, gratuito e de código aberto - denominado, na versão em português, “Régua e Compasso”, similar ao Cabri Géomètre II. Construída com base na teoria da Aprendizagem Significativa de David P. Ausubel, essa sequência foi aplicada parte no laboratório de informática, com o auxílio de roteiros, e parte em sala de aula, com a aplicação de questionários. Os roteiros tinham por objetivo: guiar a prática dos alunos no laboratório; proporcionar a reflexão sobre aquilo que estavam construindo; além de nos ajudar a detectar os subsunçores necessários ao desenvolvimento de nosso trabalho. Os questionários, elaborados com base na metodologia P.O.E. (Predict-Observer-Explain), utilizavam a predição como forma de estimular o interesse dos alunos, além de nos permitir conhecer mais sobre os seus esquemas e concepções. Neles, o aluno realizava uma construção no papel e era instado a predizer o que iria acontecer com um determinado elemento do desenho, após isso a mesma construção era repetida no laboratório informática, com o auxílio do programa de geometria dinâmica. Desse modo, o aluno então, verificava se a sua predição estava correta ou não, fornecendo uma explicação para o resultado. Este método representa uma adaptação em experimentos geométricos dos tradicionalmente utilizados em pesquisas de laboratório nas áreas de física e química. Encontram-se disponibilizados nos apêndices todos os roteiros e questionários aplicados ao longo do trabalho. Durante o ano, percebemos uma mudança de postura dos alunos quanto ao estudo da geometria e verificamos também a ocorrência de uma aprendizagem significativa dos conceitos geométricos, favorecida pela utilização dos roteiros e questionários e pelo trabalho em ambiente dinâmico.
(ANDRÉ LUIS TATO LUCIANO DOS SANTOS - Maria da Conceição de Almeida Barbosa-Lima) Este trabalho de pesquisa e oriundo do acompanhamento e observação, em classe e extraclasse, dos alunos deficientes visuais matriculados no curso regular de Ensino Médio oferecido pelo Colégio Pedro II. Durante atividades envolvendo cálculos matemáticos, ligados as aulas de física, foi observada extrema dificuldade no desenvolvimento e registro de dados de algumas equações básicas pelos alunos cuja escrita e feita integralmente no sistema Braille. Tal dificuldade, muitas vezes, era disfarçada nas classes regulares devido ao “auxilio” fornecido pelos demais colegas, que ditavam respostas prontas, reforçando a dependência dos alunos deficientes visuais usuários do sistema Braille, retirando-lhes a autonomia na execução de tarefas e reduzindo seu valor nas atividades em grupo, mesmo não sendo essa a intenção. Durante a realização da pesquisa, também foi constatado que ha diferenças entre os sistemas de linguagem escrita de videntes1 e de deficientes as quais também afetam os diversos atos comunicativos estabelecidos no decorrer das aulas. Com o intuito de minimizar essas insuficiências pedagógicas de inclusão e integração escolar, foi pesquisado e elaborado, com acompanhamento continuo dos alunos usuarios do Braille, um material para equacionamento físico-matemático que possibilite a aproximação entre deficientes visuais e videntes, na realização de atividades que exijam equacionamento e analise de dados. Concomitantemente esse material de pesquisa permite a aproximacao da linguagem escrita de discentes e docentes videntes da linguagem escrita no sistema Braille. Somente através da produção de materiais que atendam as necessidades desses alunos, gerando igualdade de possibilidades, podemos ter um ensino realmente inclusivo. 1 – Aqueles que enxergam com os olhos
(ENOQUE RINALDI DUQUE - Andréia Guerra de Moraes) O presente trabalho consiste em caracterizar os conhecimentos prévios dos alunos sobre as ondas eletromagnéticas, através de um pré-teste, provocar discussões históricofilosóficas durante os encontros, desenvolver técnicas de montagens e apresentar conceitos sobre o tema central. Para alcançar estes objetivos dez oficinas foram realizadas. As atividades foram investigativas, laboratório não estruturado. O trabalho foi inserido dentro de um projeto de iniciação científica desenvolvido no colégio Granbery. Buscou-se verificar se esta metodologia produziu mudanças significativas nos conhecimentos adquiridos pelos alunos. Os resultados obtidos permitem concluir que ocorreram mudanças positivas nas atitudes dos alunos, eles mostraram-se muito interessados pelo trabalho, foram muito questionadores, desenvolveram a informalidade no decorrer da pesquisa e demonstraram ter adquiridos os conceitos básicos para compreensão das ondas eletromagnéticas. Isto foi avaliado pela apresentação feita no final do trabalho de pesquisa.
(ROBERTO SOARES DA CRUZ - Andréia Guerra de Moraes) O presente trabalho apresenta subsídios para se discutir a inserção de tópicos de Física Moderna e Contemporânea, a partir da discussão de uma proposta pedagógica para a inclusão da teoria da Relatividade Restrita para o 9º ano do ensino fundamental. O trabalho concretizou-se com a construção e aplicação de textos sobre a evolução do conceito de movimento, onde a História da Ciência foi o eixo condutor. A teoria da aprendizagem significativa de Ausubel, e a teoria da aprendizagem significativa critica, apresentada por Marco Antonio Moreira, serviram de fundamentação teórica, e nos auxiliaram tanto na elaboração dos textos quanto na aplicação do produto. Além da curiosidade e interesse despertados, a escolha da abordagem histórica, como condutora das discussões sobre FMC, proporcionou aos alunos a oportunidade de refletir sobre a ciência como parte do desenvolvimento humano.
(WASHINGTON LUIZ RAPOSO DA SILVA - Andréia Guerra de Moraes) Este trabalho se propõe a discutir a importância de uma abordagem mais consistente e significativa de Filosofia da Ciência, epistemologia, nos cursos de graduação em Física além de apresentar uma proposta prática de um minicurso de epistemologia aplicado em uma universidade pública do estado do Rio de Janeiro. Através de pesquisa realizada sobre a legislação vigente para o ensino: LDB, PCNs (para o ensino médio) e Parâmetros curriculares para o ensino superior de Física, foi possível perceber a importância que estes documentos dão ao ensino de ciências contextualizado, que proporcione um maior poder de compreensão e discernimento dos alunos. Amparando-se na literatura relativa ao ensino de Física e de autores que defendem a abordagem de Historia e Filosofia da Ciência no ensino de ciências como GIL-Pérez, et al. (2001), Fernández, I. (2000), Sandoval e Cudmani, (1993) entre outros, ficou muito nítida a possibilidade que a efetiva abordagem de epistemologia da ciência nos cursos de graduação em Física poderia trazer para a formação de professores capazes de construir aulas significativas de ciências. Nesse sentido este trabalho apresenta, nos primeiros capítulos, estas pesquisas da legislação e do referencial teórico que ampara tal proposta de epistemologia na graduação de Física. Posteriormente há a apresentação de uma proposta de minicurso de epistemologia já aplicado e avaliado, onde são detalhados todos os resultados, todos os prós e contras da abordagem escolhida e as conclusões deste trabalho.
(PAULO ROBERTO DO NASCIMENTO - Tereza Maria Rolo Fachada Levy Cardoso) Este trabalho pretende contribuir para uma educação matemática de qualidade para a pessoa surda, a partir da constatação de que os professores de Matemática não têm sido formados para atuar na educação de surdos. Nesse contexto, recorre-se aos pressupostos da LDB ou Lei 9.394/96, que situa as bases e as diretrizes da educação nacional, tendo em vista que ao discorrer sobre Educação Especial, ou seja, sobre os alunos com necessidades educativas especiais, estabelece que esta modalidade de educação escolar deve ser oferecida preferencialmente na rede regular de ensino, sem que, no entanto, sinalize como deve ser a formação desse professor. Verificou-se que a produção acadêmica, com enfoque na inclusão escolar, ainda é muito baixa em relação aos temas gerais. Há uma defasagem entre o número de trabalhos voltados para a formação do professor de forma geral e a formação do professor de Matemática no contexto da educação do surdo. Por isso optou-se por focar este trabalho na formação do professor de Matemática, desenvolvendo-se um curso de capacitação para professores do ensino regular de forma que possam atuar na educação de surdos, utilizando o bilingüismo nas aulas de Matemática e pressupondo que o sujeito surdo tem como primeira língua a língua de sinais.
(RODRIGO XAVIER MORAES - Sérgio Eduardo Silva Duarte) Os experimentos de baixo custo representam uma alternativa à ausência de laboratórios equipados nas escolas, além de serem uma forma de aproximação do aluno à ciência através de materiais de fácil obtenção e disponíveis no seu cotidiano. A utilização de vídeos e simulações no auxílio do processo de ensino-aprendizagem nas disciplinas do ensino médio, também constitui uma ferramenta útil para que os alunos percebam a ciência como uma forma de representação dos fenômenos naturais. É comum a esses estudantes a idéia de que a ciência é puramente abstrata e desvinculada da realidade, pois baseiam-se nas situações, quase sempre ideais, que surgem nos problemas de Física. O processo de passagem do concreto para o abstrato é, muitas vezes, esquecido, já que somente é apresentada ao aluno a parte abstrata. Este trabalho tem por finalidade a análise do processo de ensino-aprendizagem em uma aula de Física com a utilização daqueles recursos de forma conjugada, abordando um tema freqüentemente omitido dos livros didáticos de ensino médio: a dinâmica das rotações.
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 Próximo > Fim >>
JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL