Apresentação do PPTEC

O Curso de Pós-Graduação Stricto Sensu em Tecnologia do CEFET/RJ (PPTEC) destina-se a formar profissionais comprometidos com o avanço do conhecimento para o exercício de atividades de pesquisa e desenvolvimento, de gestão e de magistério na área tecnológica.

As atividades de ensino, pesquisa e extensão do curso de Mestrado em Tecnologia estão organizadas na área de concentração denominada Tecnologia, Gestão e Inovação, que visa à produção de conhecimento em três linhas de pesquisa – Desenvolvimento de Tecnologias Integradas a Produtos e Processos, Organização e Gestão da Produção, e Gestão da Inovação e Informação Tecnológica – que abrangem dezesseis projetos de pesquisa.

A duração mínima para realização do curso é de 18 (dezoito) meses e a máxima de 24 (vinte e quatro) mses. O curso está dividido em 3 (três) etapas fundamentais, a saber: obtenção de créditos, desenvolvimento da pesquisa e defesa da dissertação. Para maiores informações, consulte o Catalogo do curso e o Manual do aluno.

 

Histórico

O CEFET/RJ é uma Instituição Federal de Ensino Superior, que tem quase 100 anos de história e que ao longo desses anos estabeleceu uma identidade própria associada ao desenvolvimento tecnológico e à formação de quadros profissionais reconhecidos pela sociedade, e em particular pelos segmentos da indústria regional. A contribuição com a formação de profissionais de engenharia, em especial, representa, há trinta anos, uma experiência bem sucedida.

Em 1986, como previsto na Lei n. 6.545 de 30 de junho de 1978 que o transformou em Centro Federal de Educação Tecnológica, começou a desenvolver atividades de pesquisa científica e no final da década de 80 a discutir seu projeto de Pós-Graduação stricto sensu. Em 1992 iniciou o seu primeiro programa de Pós-Graduação stricto sensu, no âmbito das engenharias, o Programa de Pós-Graduação em Tecnologia (PPTEC).

O PPTEC foi concebido como espaço para tratar da Tecnologia de forma coerente com a cultura institucional construída ao longo de quase um século, compromissado com as práticas de ensino e pesquisa consolidadas no modelo universitário tradicional.

Na concepção original do programa, processos tecnológicos, gestão em tecnologia e educação tecnológica compunham o tripé de sustentação de uma visão multidisciplinar apoiada no campo de conhecimento das engenharias. A dinâmica natural de renovação do quadro de docentes determinou, no entanto, que se reorganizassem as três áreas de concentração de modo a se trabalhar apenas com uma, denominada Tecnologia, Gestão e Inovação.

A integração dessas vertentes em uma visão multidisciplinar seria, segundo a concepção primeira do projeto, alcançada no trato, pelos grupos de pesquisadores, de objetos de pesquisa compartilhados. O convívio orgânico dos docentes, com formações e objetos de interesse originalmente distintos, permitiu ao grupo perceber, na execução cotidiana, os desafios e os limites coletivos para materializar esta integração de visões.

 

O Conceito de Tecnologia

Se a técnica configura um dado da realidade objetiva, um produto da percepção humana que retorna ao mundo em forma de ação, materializado em instrumentos e máquinas e entregue à transmissão cultural, compreende-se tenha obrigatoriamente de haver a ciência que o abrange e explora, dando em resultado um conjunto de formulações teóricas, recheadas de complexo e rico conteúdo epistemológico. Tal ciência deve ser chamada tecnologia, conforme o uso generalizado na composição das denominações científicas.

(Álvaro Vieira Pinto. O Conceito de Tecnologia)